Parou de ventar? Comece a remar! O nome disso é garra.

Sem comentários
Parou de ventar Comece a remar! O nome disso é garra.

O coração abre a trilha, a razão pavimenta a estrada.

Essa é a frase que sinteza de forma macro a Revolução do Pouquinho e representa seu ponto de partida para organizar nossos pensamentos e sentimentos e colocar em prática essa Trilha de Atitudes chamada Plano de Trabalho para Toda a Vida®.

Em outras palavras: manter a mente apenas no ambiente inspiracional, sem colocar as mãos na massa, não gera resultado algum. Assim como a execução de tarefas e rotinas sem um objetivo que a sustente, sem Propósito e sem paixão, coloca‐nos na perspectiva de vida puramente tarefeira, aquela do apertador de parafusos que não faz a menor ideia do produto que sai ao final da esteira da linha de montagem.

Na história dos grandes empreendedores, é possível idenficar um movimento entre Razão e Coração muito mais sustentado na parceria do que no equilíbrio. Uma decisão interna e um querer muito forte, sucedido pela realização planejada, monitorada e corrigida sempre que necessário. Mas com ambos sempre apontando para a mesma direção. Essa parceria entre Coração e Razão chama‐se Garra.

Quando os dois vetores criativos que a formam apontam com a mesma intensidade para lados opostos, neutralizando‐se mutuamente, atingimos aquilo que na Física é conhecido como ‘equilíbrio’. Uma falsa percepção de estabilidade, que na prática nada mais é do que a nossa conhecida zona de inércia, que é quando a nossa zona de conforto torna-se estanque e não apresenta nenhum crescimento em conhecimento, experiências e performance.  Quando apontam para a mesma direção, Razão e Coração são forças capazes de nos conduzir pelos mais críticos cenários decorrentes dos dois tipos de Mudanças que enfrentamos na vida: as mudanças que abraçamos e as mudanças que nos abraçam. Em parceria, Razão e Coração ajudam‐nos também a tornar mais claros a nossa História e a nossa visão de Legado. A nossa história é indissociável, independente daquilo que ela contenha: fatos positivos ou não, aprendizados duros ou não, conquistas, perdas, vitórias, derrotas, orgulhos e vergonhas.

Quando a honramos e respeitamos, trazemos toda a sua força para o dia de hoje, não através de um saudosismo que entristece e enfraquece, mas da consciência que fortalece nosso aprendizado. Já o Legado, que para muitos é algo subjetivo, orienta‐se pelo impacto que queremos que nossas ações imprimam no mundo, bem como pelas palavras com as quais gostaríamos de ser lembrados quando não estivermos mais por aqui. Ele também precisa ser honrado, respeitado e transformado em atitudes vivas no dia de hoje, através do nosso Propósito.

Tendo isso claro, descobrimos a resposta para uma das perguntas humanas mais essenciais:

Afinal, quem somos nós?

A resposta, a qualquer tempo, é: nós somos o resultado da nossa História, filtrada pela experiência do agora e orientada pela nossa visão de Legado. Quando amarramos estas duas pontas ‐ História e Legado ‐ usando para isso o nó do Propósito, descobrimos um dos fatores que formam a nossa Resiliência, a capacidade de retornarmos o mais próximo possível ao nosso estado emocional original quando somos submetidos aos choques, traumas e impactos decorrentes das mudanças, trazendo nessa volta algum crescimento.

Essa parceria saudável entre coração e razão, ajuda‐nos a nos tornar maiores, mais fortes e com mais sabedoria. Logo, se parou de ventar, comece a remar. O nome disso é Garra.

  • Texto publicado originalmente no Linkedin.

 

🍎 Eduardo Zugaib – Profissional de Comunicação e Desenvolvimento Humano, atividades que se misturam ao longo de mais de 25 de anos de carreira. Escritor e conferencista em nível nacional. São mais de 10 anos provocando e inspirando pessoas e organizações para uma vida com mais Propósito, Protagonismo e Performance.

▶️ Este conteúdo faz parte do E-Book Plano de Trabalho para Toda a Vida, disponível para ser baixado na íntegra aqui. E sem a necessidade de cadastro!

Artigo anterior
Esquina da Palestra reúne as melhores palestras no CONARH 2019
Artigo seguinte
Não tenha medo de errar. O nome disso é criatividade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Por favor insira um endereço de email válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Menu