Para todo “Game Over”​ existe um “Play Again”​. O nome disso é Vida!

Sem comentários
Vida

Caminhamos para o último item do Plano de Trabalho para Toda a Vida®. Essa trilha que reúne 10 atitudes inspiradas pelas 21 originais do livro A Revolução do Pouquinho. Nele falaremos um pouco mais sobre Propósito. Pois, afinal quando a vida ganha Propósito, nossas ações passam a ter significado e o trabalho deixa de ter o peso que normalmente atribuímos a ele. Nossa função e nossas tarefas passam a ser partes naturais de nós, intrínsecas à nossa essência.

Justamente por isso, função e tarefas não manifestam‐se apenas nas horas úteis do dia, em horários pré‐estabelecidos, mas estão presentes em qualquer hora e em qualquer lugar, ajudando‐nos principalmente na nossa forma de ver e compreender mundo.  Assim, uma vida com Propósito nos permite perceber a evolução que empreendemos, identificando os ciclos que vão se acumulando nessa jornada. O fim de um ciclo sempre implica no início de outro, que sucessivamente carrega em si o crescimento e aprendizagem obtidos no ciclo anterior. Ao longo do tempo, essa dinâmica vai nos tornando preparados para novos recomeços e desafios cada vez maiores.

Quando nossa consciência amplia‐se ao ponto de percebermos tais ciclos, gradativamente vamos angindo o invejável status daqueles profissionais que parecem divertir‐se enquanto trabalham e, nem por isso, deixam de apresentar uma boa performance.  Ter Propósito é ‘viver aquilo que se acredita’, colocando a motivação no seu devido lugar: o lugar de causa, não de efeito. Quando a motivação é encarada como efeito, sujeitamos nossa felicidade à ocorrência de fatos que até desejamos, porém estão sujeitos a fatores sobre os quais não possuímos qualquer tipo de controle ou influência, podendo virem a ocorrer ou… não!  Portanto, quando a motivação é apenas efeito, corremos o risco de, por alguma razão, simplesmente nunca conhecê‐la. Já quando encaramos a motivação como causa, mudamos um pouco a ordem das coisas.

Com isso, conquistamos outra parte valiosa da nossa Resiliência, pois sabemos que, para atingir o que desejamos e consolidar nossas conquistas, um estado contínuo de motivação – que podemos tranquilamente substituir pela palavra ‘autoliderança’ ‐ é o que nos faz seguir adiante, mesmo quando encontramos dificuldades pelo caminho. E ainda, caso não consigamos atingir nossos objetivos, definimos novos destinos, ajustamos a rota e seguimos em frente, sem correr o risco de esvaziarmo‐nos emocionalmente. Quando corrigimos esse descompasso, o trabalho ganha Significado. E passa a ser realizado pelo Sentido que ele provoca em nós, não mais apenas pela obrigação assumida. Este sentido normalmente está relacionado à construção do nosso Legado, como descrito nos pouquinhos anteriores da nossa trilha.

Diante disso, uns dos fatores que ajudam a compor nosso Propósito, podemos citar inicialmente as nossas Habilidades, que trata do ‘saber fazer’ seja ele o técnico ou o comportamental; aquilo que um dia incorporamos em nossa vida através de um aprendizado acadêmico, prático ou circunstancial.  Também entram nessa conta os nossos Modelos, pessoas do nosso convívio ou figuras de inspiração que reconhecemos como geradoras de bons resultados, buscando compreender e repetir sua performance dentro do nosso contexto.

Por conseguinte, a nossa Paixão, representada pelos níveis de presença, envolvimento e energia que empenhamos na entrega do nosso trabalho, é o terceiro fator que ajuda a dar forma ao nosso Propósito.

Em seguida estão os nossos Valores, a parte positiva do nosso sistema de crenças, aquela que nos norteia e nos ajuda a nos posicionarmos com firmeza e tomar decisões conscientes diante dos dilemas éticos, assédios e corrupções do dia a dia, situações recorrentes especialmente em momentos de crise, como os que vivemos atualmente.

Quando tornamos congruentes as nossas Habilidades, nossos Modelos, nossa Paixão e nossos Valores, conhecemos de forma prática o que significa uma vida com mais Propósito.  E passamos a responder naturalmente o ‘porquê’, o ‘pra quê’ e o ‘por quem’ fazemos aquilo que fazemos.  Assim percebemos que, durante a jornada, cada game over representa sempre a possibilidade de um novo play again. Cada final representa a chance de um novo começo.

E então, o Plano de Trabalho para Toda a Vida®, esta pequena e intensa Trilha de Atitudes que nasceu da metodologia Revolução do Pouquinho, surgiu para ajudar você a refletir de forma mais consciente sobre este jogo que jogamos intensamente. E mesmo sem compreender direito sua dinâmica e suas fases, entendemos e damos a isso o nome de Vida.

 

🍎 Eduardo Zugaib – Profissional de Comunicação e Desenvolvimento Humano, atividades que se misturam ao longo de mais de 25 de anos de carreira. Escritor e conferencista em nível nacional. São mais de 10 anos provocando e inspirando pessoas e organizações para uma vida com mais Propósito, Protagonismo e Performance.

▶️ Este conteúdo faz parte do E-Book Plano de Trabalho para Toda a Vida, disponível para ser baixado na íntegra aqui. E sem a necessidade de cadastro!

Artigo anterior
Chega de subtração! Precisamos de atitudes que multiplicam.
Artigo seguinte
Corrija erros e valorize acertos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Por favor insira um endereço de email válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Menu